Prefeitura e IPSul planejam ações para diminuir incidência de depredações da iluminação pública

Em um dos casos, foram separadas as imagens de câmeras de segurança que ajudaram a Polícia Civil na identificação dos autores, que estão sendo processados.

Foto: Divulgação/SMSURB

Desde outubro, quando assumiu a responsabilidade pela manutenção da iluminação pública de Porto Alegre, a IPSul tem trabalhado para coibir a ação de vândalos que furtam e depredam estruturas e materiais da rede. Ao identificar o crime, a concessionária realiza a junção de provas e encaminha às autoridades competentes. Em um dos casos de furto, foram separadas as imagens de câmeras de segurança que ajudaram a Polícia Civil na identificação dos autores, que estão sendo processados.


O problema mais recente foi registrado na Avenida Edvaldo Pereira Paiva, após o furto de cabos ocorrido em um circuito localizado no Parque Marinha. A via ficou com um trecho apagado durante algumas horas, até a conclusão do trabalho emergencial de uma das equipes de manutenção da IPSul.


Nesta quarta-feira (10), o diretor-executivo da concessionária, Guido Oliveira, participou de reunião com integrantes da Prefeitura Municipal para definir estratégias para minimizar o problema. Além do secretário de Serviços Urbano, Marcos Felipi, titular da pasta que é responsável pela fiscalização da PPP, também participaram o secretário municipal de Segurança, Coronel Mário Ikeda, e o comandante da Guarda Municipal, Marcelo Nascimento.


No encontro foram discutidas ações de monitoramento e preservação do patrimônio público. Foram analisados dados das últimas ocorrências com o objetivo de identificar as regiões com maior índice de furto e depredações. “A iluminação pública é ferramenta fundamental para a segurança dos cidadãos do município. Portanto, manter nossas vias e praças bem iluminadas ajuda na prevenção da violência. A fiscalização e a identificação dos crimes são essenciais para reduzirmos os problemas no sistema e, consequentemente, reduzir a criminalidade em geral”, ressalta Guido Oliveira.


Representantes da Brigada Militar e da Polícia Civil também serão procurados para a definição de ações integradas entre os órgãos.