PPP da Iluminação Pública de Porto Alegre é destaque na Rádio Bandeirantes

Cláudio Abreu concedeu entrevista nesta sexta-feira (10) ao programa Jornal Gente


O diretor-geral da concessionária IPSul, Cláudio Abreu, concedeu entrevista sobre a PPP da Iluminação Pública de Porto Alegre ao programa Jornal Gente, da Rádio Bandeirantes. Aos jornalistas Oziris Marins e Sérgio Stock, Abreu esclareceu como funcionará a execução do contrato, desde os ajustes iniciais até a transformação da Capital gaúcha em uma “cidade inteligente”.

A conversa iniciou com a principal dúvida da população: quando as equipes “subirão nos postes” e trocarão os atuais pontos de iluminação pela tecnologia LED prevista na parceria. Abreu explicou aos jornalistas que, em contrato longo como este, de 20 anos, é necessário que se tomem providências iniciais de parte a parte para que se tenha eficácia plena no trabalho. “São ações tanto do poder concedente quanto da concessionária. É a contratação de uma instituição financeira para depósito das receitas, a transferência dos bens do município para a concessionária, o depósito pelo município do fundo garantidor (previsto em contrato), e por parte da concessionária a apresentação do plano (que já foi feito) e a contratação de um pacote de seguros para todo o empreendimento”, esclareceu.

Cláudio ainda acrescentou que o prazo para esta fase inicial é de 120 dias, período que antecede a plena eficácia do contrato. Entretanto, deixou claro que o grupo prevê antecipar essa etapa, uma vez que os trâmites já estão adiantados: “o Plano de Transição Operacional (PTO), que tínhamos 15 dias para apresentar, fizemos antes do prazo. O município, que tem 30 dias para aprová-lo, pretende fazê-lo antes também. Então o contrato está andando muito bem, com ganho de prazo”, comemorou o diretor-geral.

Transcorrido esse prazo, a IPSul assume toda a manutenção e operação do parque de iluminação pública da Capital, momento em que começa o trabalho “visível” à população. “É quando se sobe no poste para iniciar a tão esperada troca das atuais luminárias pelas luminárias LED, uma tecnologia nova, totalmente sustentável, e que vai agregar e inserir Porto Alegre no rol das cidades inteligentes”, acrescentou Cláudio Abreu. A contar de então, Porto Alegre dará seus primeiros passos para a excelência em iluminação pública, uma demanda antiga e absolutamente necessária.

Sobre a sequência dos trabalhos, Cláudio ressaltou que já há uma estimativa, mas que esse processo está sendo alinhado com os técnicos da prefeitura. “Estamos trabalhando em um projeto-piloto para adiantar algumas avenidas, uma antecipação do contrato, para fazer um período de testes e mostrar aos cidadãos ao que a gente veio. Isto está sendo apreciado pela Procuradoria do município, uma vez que o contrato precisa seguir seu curso, mas nossa intenção é antecipar algumas avenidas, e dar uma mostra do que será a nova iluminação pública de Porto Alegre”, disse.

Sobre as empresas que compõe o consórcio, o diretor-geral ressaltou que a STE é uma empresa gaúcha, de Canoas, do ramo de engenharia construtiva e que está há 47 anos no mercado. Também contou que o grupo conta com a GCE de Brasília, a Fortnort, de São Paulo, e a Quantum Engenharia, de Santa Catarina. “Todas as quatro empresas já possuem PPPs em andamento, todas tem experiência nesta área”, apontou.

Oziris Marins questionou ainda sobre os ganhos potenciais que a PPP trará, ao que Cláudio reforçou pontos como o aumento da segurança pública e agilidade de reparos, sem contar a economia aos cofres públicos: “será um ganho muito grande, com um sistema de telegestão, onde o benefício também se dá no sentido de manutenção mais rápida, já que o Centro de Controle Operacional (CCO) estará conectado em tempo real. Haverá um CCO na sede da IP Sul e outro na sede da prefeitura, o controle será em tempo real”, destacou. Vale lembrar, ainda, que haverá um call center e um aplicativo para que o cidadão possa informar eventuais falhas, “mas a ideia é que, quando o cidadão observar o problema, o conserto já esteja em andamento”, finalizou.

Na sequência, Cláudio acrescentou que a tecnologia de telegestão e controle instantâneo coloca Porto Alegre dentro do já citado conceito de “cidade inteligente”, onde os eventuais erros no sistema são imediatamente identificados e reparados. Com a nova tecnologia a ser implementada pela IPSul, a tecnologia permitirá, num futuro próximo... controle pluviométrico, de temperatura, e a aplicação de semáforos inteligentes. “Será um ganho gigante para o cidadão”, comemorou.